UNIDADE PREMIUM

Av. Getúlio Vargas, 902 -

Centro - Feira de Santana/BA

Telefone 75 3623.7575

E-mail: prodiagnostico@prodiagnostico.com.br

© 2016  Todos os direitos reservados. Desenvolvido por MaisArte

DÚVIDAS FREQUENTES

Sim. O álcool é um irritante gástrico e sua ingestão em grande quantidade pode provocar sangramento no estômago. Sendo assim, seu uso é desaconselhável para a pesquisa de sangue oculto nas fezes.

Sim. Porém é importante que o médico saiba em que período do ciclo menstrual seu exame foi realizado, especialmente para dosagens hormonais.

A formação de hematoma é a complicação mais comum da venopunção. O hematoma origina-se do     extravasamento do sangue para o tecido sob a pele, durante ou após a punção, sendo visualizado na forma de uma protuberância. A dor é o sintoma de maior desconforto ao paciente, e eventualmente, pode ocorrer a compressão de algum ramo nervoso. Caso a formação do hematoma seja identificada durante a punção, deve-se retirar imediatamente o torniquete e a agulha. É necessária uma compressão local durante pelo menos dois minutos. O uso de compressas frias pode auxiliar na atenuação da dor local. O procedimento de dobrar o braço após a retirada da agulha e/ou carregar objetos relativamente pesados logo após a coleta, contribuem sobremaneira para a formação do hematoma mesmo após uma coleta de sangue bem sucedida.

No ato do atendimento, o cliente tem a opção de autorizar a retirada dos resultados por terceiros, mas é necessário que esta terceira pessoa esteja portando a via cliente no momento de retirar os resultados. Eventualmente, sob a autorização do cliente, os resultados poderão ser enviados por fax. Entretanto, existem alguns exames que têm restrição absoluta de ser entregues a terceiros, como por exemplo exames de HIV, HCG e pesquisa de drogas de abuso.

O efeito da atividade física sobre alguns componentes do sangue, em geral, é transitório e depende das variações nas necessidades energéticas do metabolismo e da eventual modificação fisiológica que a própria atividade física condiciona. Esta é a razão pela qual se prefere a coleta de amostras com o paciente em condições basais, mais facilmente reprodutíveis e padronizáveis. O esforço físico pode causar aumento da atividade sérica de algumas enzimas, como a creatinoquinase, a aldolase e a aspartato aminotransferase. Esse aumento pode persistir por 12 a 24 horas após a realização de um exercício. Alterações significativas no grau de atividade física, como ocorrem, por exemplo, nos primeiros dias de uma internação hospitalar ou de imobilização, causam variações importantes na concentração de alguns parâmetros sanguíneos. O uso concomitante de alguns medicamentos, como as estatinas, por exemplo, pode potencializar estas alterações.

Não. A cafeína pode induzir a liberação de adrenalina, que estimula pequena elevação da glicose no sangue.

Não. O fumo pode elevar a concentração dos ácidos graxos, da adrenalina, do glicerol livre, da aldosterona, do cortisol, do antígeno carcinoembriônico, entre outros. O tabagismo também é causa de elevação na concentração de hemoglobina, no número de leucócitos e de hemácias e no volume corpuscular médio; e, ainda, redução na concentração de HDL-colesterol e elevação de outras substâncias como adrenalina, aldosterona e cortisol.

Não. A suspensão de medicamentos somente pode ser autorizada pelo médico assistente e seu uso deve ser mantido conforme orientação do mesmo. Para drogas de monitorização terapêutica, cuja coleta de sangue é sugerida imediatamente antes da próxima dose, é conveniente o paciente trazer consigo o medicamento em uso, para evitar ultrapassar o horário programado para a medicação.

Não, recomenda-se a coleta em casa, em frasco apropriado, sem contaminação com urina.

Habitualmente, é recomendado um período de jejum para a coleta de sangue para exames laboratoriais. Após as refeições, a circulação de certos elementos provenientes da alimentação (lipemia) pode interferir em algumas metodologias laboratoriais e prejudicar a realização do exame. Para evitar-se as interferências da dieta, o período de jejum para a coleta de exames laboratoriais de rotina, geralmente, é de 8 horas, podendo ser reduzido a 4 horas para a maioria dos exames. Porém, em situações de urgência, o médico pode solicitar a realização do exame sem o jejum.

Não. A ingestão de pequena quantidade de água, no decorrer do jejum alimentar, não prejudica a realização de exames de sangue.

É alimentar-se conforme seus hábitos do dia-a-dia, sem modificações.

Para alguns exames pode ser sugerida uma dieta especial, mas para a maioria deles o indivíduo não deve alterar sua rotina alimentar, ou seja, deve manter a dieta habitual, a menos que haja orientação médica para isso, e deve-se respeitar o período de jejum recomendado para os exames que irá realizar.

Habitualmente, é recomendado um período de jejum para a coleta de sangue para exames laboratoriais. Após as refeições, a circulação de certos elementos provenientes da alimentação (lipemia) pode interferir em algumas metodologias laboratoriais e prejudicar a realização do exame. Além disso, os hábitos alimentares aos quais o indivíduo está submetido, mesmo respeitado o período regulamentar de jejum, pode interferir na concentração de alguns componentes, sendo exemplo bem conhecido o triglicérides que apresenta variações importantes conforme a qualidade da dieta

Preferencialmente os exames de urina deveriam ser colhidos no laboratório, mas é permitido a coleta em casa, desde que sejam seguidas as orientações do laboratório quanto aos cuidados de assepsia, coleta, transporte e armazenamento. As uroculturas devem ser colhidas, preferencialmente, no laboratório.

O primeiro jato urinário transporta células e secreções presentes na uretra. Na investigação de infecção urinária é importante que o material não esteja contaminado com resíduos uretrais. Daí a necessidade de desprezar o primeiro jato e coletar o jato médio.

Sim. O ideal é fazer o exame fora do período menstrual, contudo, nos casos de urgência a urina pode ser colhida tomando-se cuidado com a assepsia para o sangue menstrual não se misturar à urina. O mesmo é válido para cremes e óvulos, devendo-se adiar a coleta por 48 horas ou no caso de urgência fazer assepsia rigorosa, eliminando resíduos dos produtos.

Algumas características da urina modificam-se ao longo do dia, em razão do jejum, do tipo de dieta, da atividade física e do uso de medicamentos, por isso, há esta recomendação para análise de algumas amostras e deve-se seguir a orientação médica. Na ausência desta solicitação amostras ao acaso podem ser colhidas em qualquer período do dia, desde que se permaneça 4 horas sem urinar.

Mesmo o consumo esporádico de etanol, álcool encontrado nas bebidas, pode causar alterações significativas e quase imediatas na concentração plasmática de alguns metabólitos, por exemplo, glicose, ácido láctico e triglicérides. O uso crônico é responsável pela elevação da atividade da gama glutamiltransferase, entre outras alterações importantes.